CHARVEL de Steve Vai quebra no camarim.

em

História da JEM

Em 1985 a série Roadstar começou a se transformar no que conhecemos hoje como a RG, a idéia da configuração HSS se solidificou e mais guitarras passaram a ter esta configuração de captadores, outros lançamentos como a série Axstar também seguraram as pontas. Em 1987 foi lançada a Sabre que depois ficou conhecida como série S e que existe até hoje.
No meio da crise o presidente na época Joe Hoshino tomou uma das maiores decisões na história da Ibanez: a de mudar o conceito da marca de uma guitarra de preço para uma guitarra de prestígio, uma marca de desejo para os músicos. Para isso eles iriam precisar de um projeto forte, uma pessoa de personalidade que seria uma espécie de “Mr. Ibanez”. O escolhido foi um jovem guitarrista que estava assombrando o mundo com a sua habilidade e que a Ibanez iria fazer de tudo para que ele se juntasse ao time. Esse guitarrista era Steve Vai!

Segundo o que o próprio Steve Vai conta em diversas entrevistas foi em 1985 que David Lee Roth saiu do Van Halen e montou o seu projeto solo com uma banda que até hoje é considerada um super grupo. Além de Steve Vai na guitarra a banda contava com o baixista Billy Sheehan e o baterista Greg Bissonette. A partir deste momento os olhos do mundo da música estavam em Steve Vai e os olhos de todos de todos os fabricantes estavam na guitarra que ele usava.

Várias empresas mandaram diversas guitarras para que Steve experimentasse (incluindo a Ibanez) mas ele não estava interessado, Steve estava procurando uma guitarra para chamar de sua. Depois de uma certa insistência da indústria guitarrística Steve resolveu desenhar uma guitarra com diversas especificações que ele vinha buscando nas suas experiências e mandar para diferentes empresas produzirem protótipos.
A Ibanez foi a empresa que foi mais rápida para enviar um protótipo (apenas 04 semanas) e segundo Steve Vai foi também a empresa que fez o melhor protótipo. Naquele momento o músico decidiu que seria a Ibanez a empresa que iria construir a guitarra dos seus sonhos.

A construção da JEM foi um grande desafio pois era um instrumento que incluía uma grande quantidade de detalhes de construção não só que a Ibanez nunca tinha feito antes e que tinham muita chance de dar errado.

Steve Vai escolheu usar Basswood como a madeira para o corpo o que não era nada comum na época, os fornecedores de madeira até zombaram dizendo que a Ibanez ia construir uma guitarra de brinquedo pois Basswood não era uma madeira para se fazer instrumentos mas Steve Vai sabia o que estava fazendo e foi muito específico quanto ao tipo de Basswood usar uma vez que esta madeira é muito estável e a idéia de Vai era que ele pudesse ir a qualquer loja de guitarra do mundo, pegar uma JEM e a guitarra tivesse a consistência e o som que ele estivesse procurando.

A incrível especificidade do projeto assustou a fábrica japonesa da Ibanez pois eles acreditavam que estava tudo bem em ir fundo nos detalhes para fazer uma guitarra única e especial para Steve Vai mas como reproduzir essa mesma qualidade e apreço nos detalhes uma vez que a guitarra entrasse em produção de massa ? Eles tiveram que encarar esse desafio e conseguiram superá-lo com louvor. O projeto da JEM foi mantido em absoluto segredo assim como o contrato de endorser assinado com Steve Vai. A revelação da JEM na feira NAMM showw de 1987 foi coberta de mistério, o display que revelaria a guitarra ficou tampado e vigiado o tempo todo por um segurança até o momento da revelação. A JEM foi o grande ponto da virada para a Ibanez que passou finalmente a ser reconhecida como uma marca grande e inovadora, mas a JEM não era o único trunfo, a série S, a nova RG550 e os baixos da série SDGR (Soundgear) fizeram não só impressionar a indústria musical mas também com que os lojistas apostassem na Ibanez com grandes pedidos.



A história engraçada de depois do lançamento da JEM é que nas turnês de David Lee Roth, Steve Vai continuava usando a sua antiga Charvel apesar de já ter algumas Ibanez prontas para uso no camarim. Steve conta no livro “Ibanez The Untold Story” que ele estava receoso de se livrar da sua antiga guitarra companheira de tantos anos até que o inesperado aconteceu, ele estava prestes a entrar no palco para o maior show da turnê até aquele momento, o estádio do Madison Square Garden em Nova York completamente lotado, vai estava super nervoso no camarim se aquecendo com sua Charvel até que numa brincadeira louca com a alavanca ele arrancou várias cordas da guitarra e não só isso, puxou tão forte que um pedaço da madeira saiu. Ele entrou em pânico a Charvel não

poderia ser consertada a tempo e ele teria que usar a Ibanez, assim foi feito e depois desse dia ele nunca mais usou outra guitarra….

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s